Pesquisas

PESQUISAS EM ANDAMENTO

Comunicação, Mediação e Cibercultura – PQ/CNPQ – 2019-2022 – Universal CNPQ

(Em análise pelo CNPQ)

Participantes – André Lemos (coordenador) e equipe do Lab404.

Resumo: Comunicação, cultura digital e mediação sintetizam o problema central de pesquisa. A atual proposta visa aprofundar a discussão sobre os conceitos de “Sensibilidade Performativa” (SP) e “Comunicação das Coisas” (CdC), aplicados a fenômenos contemporâneos da cultura digital. Busca-se discutir o conceito de mediação, comunicação e “modos de existência” para dar conta dos novos fenômenos comunicacionais contemporâneos emergentes com a dataficação da sociedade e a agência ampliada de objetos infocomunicacionais. A hipótese principal é que não é possível entender os produtos e processos da cultura digital contemporânea sem levar a sério a agência dos objetos na ação comunicacional. O entendimento de mediação não é suficiente para definir o campo da comunicação. Torna-se necessário, explicitar o que de específico tem essa forma de mediação – que chamaremos de “comunicação social” – sem negligenciar o papel dos objetos. Haveria, em tese, um modo de existência específico que chamaremos de “Modo de Existência da Comunicação” (COM). A discussão teórica desse projeto vem ancorada em uma perspectiva pragmática e será perseguida a partir de um panorama analítico-descritivo de práticas e de dispositivos digitais a partir de problematizações envolvendo materialidades, performatividade algorítmica e agência dos objetos.

 

Materialidades digitais e mediações algorítmicas enquanto práticas comunicacionais no regime de Comunicação das Coisas. – PAC/UNEB; PQ/CNPQ

Participantes – André Lemos (coordenador). Elias Bitencourt (pesquisador responsável), Gabriel Bastos (graduação, bolsista CNPq/INCT-DD) e Vitória Croda (graduação, bolsista CNPq/INCT-DD)

Resumo: A popularização da internet móvel e da computação embarcada contribuiu para a emergência do fenômeno da Internet das Coisas. Também conhecidos como coisas inteligentes (Smart things), esses objetos não apenas transformam o alcance da informação veiculada, mas promovem múltiplas traduções (LATOUR, 2005) nos modos de produção, registro, e expressão da informação circulante através de agenciamentos algorítmicos. Historicamente, entretanto, as abordagens tradicionais das Teorias da Comunicação tenderam a minimizar, ou mesmo desconsiderar, a parte não humana das cadeias midiáticas, tratando a “comunicação” como um objeto/fenômeno alicerçado em categorias epistemológicas interpretadas e validadas exclusivamente por filtros antropocêntricos. Como caminho alternativo, esse projeto quer dar relevo às materialidades digitais reconhecendo-as como práticas comunicacionais importantes para pensar a comunicação como um fenômeno mais amplo, caracterizado muito mais pelo processo de mobilização de cadeias de tradução (LATOUR, 2005) da informação que propriamente pelo caráter “humano” dos agentes ou da qualidade “hermenêutica” dos substratos das traduções. Para tal, busca caracterizar o aparato-fenômeno (BARAD, 2007) Comunicação das Coisas (LEMOS, 2013) nos sistemas da IoT. Adota como estratégia teórico-empírica o mapeamento das principais perspetivas epistemológicas no campo e a catalogação das práticas comunicacionais mediadas por algoritmos mais frequentes nos produtos da IoT.

 

ROUBA (DADOS), MAS FAZ: Privacidade e darkpatterns em aplicativos governamentais da Bahia – PQ/CNPQ

Participantes – André Lemos (coordenador) Daniel Marques (Pesquisador Responsável)

Resumo: O objetivo geral desta pesquisa está em analisar a ocorrência de privacydarkpatterns nos aplicativos oficiais da prefeitura de Salvador e Governo do Estado da Bahia, sistematizando, a partir disso, uma metodologia de descrição e análise desse fenômeno. Tratam-se de estratégias de interface desenvolvidas com o propósito de fazer com o que o usuário tome decisões que, muitas vezes, não são do seu interesse. Ao mesmo tempo, portanto, em que percebemos a implementação de padrões de interface que buscam auxiliar o usuário na tomada de decisão sobre o gerenciamento de suas informações pessoais – privacypatterns –, também é possível encontrar artifícios que direcionam o sujeito para uma maximização na coleta e processamento de informações pessoais – privacydarkpatterns. A pesquisa busca: a) revisar a literatura sobre padrões de privacidade e darkpatterns; b) sistematizar uma metodologia de descrição e análise de darkpatterns em interfaces digitais e; c) analisar a ocorrência dos darkpatterns em aplicativos governamentais da Bahia.

 

FOTOGRAFIA E PRÁTICA DE DADOS. Materialidades, performatividade algorítmica e comunicação das coisas

Participantes – Leonardo Pastor (coordenador da pesquisa, bolsista Capes de doutorado), André Lemos (coordenador do Lab404), Michelle Oliveira (graduação, bolsista PIBIC/CNPq), Vitória Croda (graduação, bolsista CNPq/INCT-DD)

Resumo: Em uma primeira etapa, a pesquisa teve como objetivo investigar empiricamente a prática fotográfica realizada através do aplicativo Instagram. Desenvolvemos, portanto, uma análise tendo em vista três aspectos: processo de espacialização, processo de sociabilidade e processo de produção de si (retratos e selfies). O uso de metatexto (hashtags, legendas e emojis) e de dados de geolocalização indicam que a prática fotográfica se dá hoje enquanto uma prática conversacional de dados. Propõe-se, em uma segunda etapa, compreender as conformações sociotécnicas de materialidade e performatividade algorítmica nas práticas de dado na fotografia atual, correlacionando-as com a emergência de uma reconfiguração da perspectiva comunicacional atrelada a elas – uma comunicação das coisas. Busca-se, através das práticas fotográficas, compreendidas aqui também enquanto práticas de produção de dado, perceber uma conformação social e comunicacional na qual as disposições de materialidade, a performatividade algorítmica e a agência não-humana inserem-se de forma atuante na experiência envolvida com a produção de imagens digitais.

Produtos Gerados:

LEMOS, André. PASTOR, Leonardo. A fotografia como prática conversacional de dados: espacialização e sociabilidade digital no uso do Instagram em praças e parques na cidade de Salvador. COMUNICAÇÃO, MÍDIA CONSUMO, SÃO PAULO, V. 15, N. 42, P. 10-33, JAN./ABR. 2018. DOI 10.18568/CMC.V15I42.1611

 

CONTROLE DE AUTENTICIDADE DE CONTEÚDOS NAS REDES SOCIAIS – CAPES – 001

Participantes – André Lemos (coordenador); Frederico Ramos Oliveira (pesquisador responsável)

Resumo: O compartilhamento intencional de conteúdos apócrifos nas redes sociais de internet tem sido discutido amplamente, tanto por governos, como pela academia e outros representantes da sociedade civil. A pesquisa busca compreender a atuação associada de humanos e não humanos no controle de autenticidade de conteúdos postados no Facebook. Neste sentido, discute as relações entre essa rede social digital, agências de checagem de dados, interfaces e usuários. Objetiva, ainda, descrever procedimentos que são desenvolvidos pelos gestores das redes sociais para identificação de conteúdos que podem ser apócrifos, verificação de sua autenticidade; compreender como as agências brasileiras de checagem de dados se organizam editorialmente para atuar no controle da autenticidade de conteúdos; e compreender a relação das interfaces e usuários com a circulação de conteúdos apócrifos.

 

VERIFICAÇÃO DA AUTENTICIDADE DE CONTEÚDOS DISTRIBUÍDOS NAS ELEIÇÕES DE 2018 POR AGÊNCIAS DE CHECAGEM – CAPES – 001

Participantes –Frederico Ramos Oliveira (pesquisador responsável); André Luiz Martins Lemos (coordenador)

Resumo: Durante as eleições presidenciais de 2018, agências de checagem de fatos brasileiras, em função de inúmeros fatores, desenvolveram checagens de conteúdos sobre o pleito compartilhados nas redes sociais digitais. A pesquisa intenta identificar as fontes utilizadas nas checagens, o modo como são apresentadas e os aspectos metodológicos da construção das matérias. Também busca analisar os critérios de noticiabilidade presentes nas matérias, bem como identificar aspectos que garantam às checagens caráter jornalístico. Por fim, busca identificar como as checagens são apresentadas pelos bots das agências. Neste sentido, será desenvolvida análise de conteúdo das checagens, da circulação destas postagens nas redes sociais digitais e, também, da interface dos bots desenvolvidos pelas agências no Facebook e no Twitter.

 

PESQUISAS EM FINALIZAÇÃO

A COMUNICAÇÃO DAS COISAS. Internet das Coisas, Big Data e Smart Cities – PQ/CNPQ – 2014-2019

(Fevereiro 2019)

Participantes – André Lemos (coordenador) e equipe do Lab404

Resumo: O objetivo da pesquisa é discutir a Teoria Ator-Rede (TAR) e a Filosofia ou Ontologia Orientada a Objetos (OOO) no campo das mídias digitais em particular, e das teorias da comunicação em geral, na proposição de uma Comunicação das Coisas. O objetivo é investigar essas capacidades comunicacionais pela TAR e OOO a partir de projetos de IoT, Big Data e Smart Cities. O que é comum a todos esses projetos é o papel autônomo dos objetos a partir das novas funções infocomunicacionais adquiridas. Nunca objetos e dados tiveram tamanha independência, performatividade, comunicabilidade e agência, como na sociedade contemporânea. Sensores, algoritmos, bases de dados, redes telemáticas criam um ambiente infocomunicacional no qual os objetos sentem o seu contexto, sabem do seu status, processam informações, tomam decisões e as distribuem mediando outros objetos. Seja na cidade, na mineração dos dados nas redes sociais ou no processamento industrial de produtos e serviços o que estamos assistindo é a expansão vertiginosa do que se chama de IoT e Big Data.

Produtos Gerados:

LEMOS, A. Isso (não é) muito Black Mirror”. Passado, Presente e Futuro das Tecnologias de Comunicação e Informação. Salvador: EDUFBA, 2018… Veja mais

 

Smartbody. Poética, estética, política e ética dos corpos algoritmicamente possíveis. – PAC UNEB – Doutorado Sanduíche CAPES PDSE/2016

Participantes – Elias Bitencourt (pesquisador responsável)

Resumo: Propõe investigar como se configuram as experiências de corporeidade mediadas pela associação entre mídias vestíveis e corpo. Como principal objetivo ele quer caracterizar essas percepções, mapeando e descrevendo os principais mediadores e as traduções mais evidentes na estética, na poética, na política e na ética do ator-rede corpo-wearable. De natureza exploratória, e orientado pela perspectiva simétrica da Teoria Ator-Rede, o estudo parte da hipótese de que a associação entre corpo e mídia vestível faz emergir novas experiências de corporeidade mediadas por inteligências computacionais integradas a uma complexa rede sociotécnica que se organiza ao redor desses corpos – o Smartbody. Procurando identificar os principais mediadores e descrever suas agências na tradução dessas percepções corporais (estética), o trabalho pretende analisar os hábitos mais frequentes dos usuários que compõem a comunidade Fitbit, a maior marca no mercado global de vestíveis. É proposto, ainda, investigar os programas de ação implícitos nas normativas de uso e privacidade presentes nos termos do usuário e nos relatórios financeiros da Fitbit (política), descrever os procedimentos valorizados na interface dos canais de visualização de dados da plataforma (poética) e verificar quais as principais conotações atribuídas ao imaginário dos corpos monitorados são veiculadas nos principais jornais online (ética).

Aplicativos do Setor Público da Bahia

Participantes – André Lemos (coordenador); Nayra Veras (pesquisadora responsável) e Hilza Cordeiro (Bolsista de Iniciação Cientifica)
Resumo: A pesquisa desenvolvida no Lab404 tem como proposta a investigação os aplicativos do setor público usados pelo executivo do Governo do Estado da Bahia e pela Prefeitura Municipal de Salvador. Busca-se apresentar um mapeamento identificando as funcionalidades, serviços, setores e atividades dos aplicativos e a opinião dos cidadãos sobre os serviços oferecidos pelas instâncias estatais. A investigação empírica teve como propósito inicial investigar o uso das tecnologias móveis pelo poder público, o que no aspecto teórico conduziu para a reflexão sobre a ideia de um cidadão sensor, a partir da premissa de que o “cidadão inteligente” é fornecedor de informação aos poderes públicos. Os resultados revelaram uma visão tecnocrática, centrada mais na oferta de serviços no ambiente on-line e na gestão dos problemas do que na comunicação ampla entre os cidadãos. A pesquisa se concentra no debate sobre governo móvel e smart cities.

Produtos Gerados:

LEMOS, André. VERAS, Nayra. Cidadão Sensor e Cidade Inteligente: Análise dos Aplicativos Móveis da Bahia. In: Revista Famecos, v.25, n.3, 2018.

 

“MADE FOR ANY ROOM”: Sobre as práticas cotidianas de privacidade e mediação de informações pessoais através de smart speakers 

Participantes – Daniel Marques (Coordenador)

Resumo: Partindo de um entendimento de privacidade enquanto práticas contingentes a contextos sociais, técnicos, econômicos e políticos específicos, faz-se necessário lançar um olhar crítico sobre a adoção de smart speakers e sua inserção no cotidiano dos lares contemporâneos. Para além de problematizar aspectos relacionados à segurança da informação, hacking e invasões, nosso interesse de pesquisa parte para as práticas cotidianas referentes à circulação de informações pessoais e mediação do cotidiano através dos smart speakers. É com esse interesse em mente que lançamos a seguinte questão de pesquisa: Como se caracterizam as novas e/ou reformuladas práticas de privacidade produzidas pela inserção de smart speakers no processo de mediação e circulação de informações pessoais no ambiente doméstico cotidiano?  Tomamos a Teoria Ator-Rede como inspiração teórico-metodológica, partindo da necessidade de observar a distribuição de agências que atuam na composição das práticas de privacidade.

 

Movimento Maker na Bahia

Aguardando avaliação

Participantes – André Lemos (coordenador); Raniê Solarevisky (pesquisador responsável); Paula Holanda (bolsista iniciação científica).

Resumo: O trabalho pretende oferecer um mapa sobre o movimento maker na Bahia, com atenção à maneira como a comunicação entre os usuários destes espaços molda o uso de ferramentas de fabricação digital usadas na construção ou reconfiguração de objetos.O artigo resultante da pesquisa mapeia o movimento maker na Bahia, com atenção à maneira como a comunicação entre os usuários destes espaços molda o uso de ferramentas de fabricação digital usadas na construção ou reconfiguração de objetos. Pretende-se tratar dos conceitos ligados ao movimento maker, tais como as definições de makerspace, hackerspace, FabLab e FabCity (GERSHENFELDT et al, 2017), a produção sobre práticas brasileiras (EYCHEINE; NEVES, 2013; AGUSTINI et al, 2017) e as experiências e projetos ligados ao movimento maker em solo baiano.

 

Apropriações e comunicação na Internet das Coisas: Análise de mediações e agências a partir da programação de conexões por usuários finais em produtos e projetos de IoT

Participantes – Raniê Solarevisky (pesquisador responsável)

Resumo: A pesquisa tem como objeto de estudo as apropriações de soluções de Internet das Coisas e a maneira como alteram a distribuição de mediações e agências nesses sistemas. A intenção é verificar de que forma essas apropriações se processam, como criam e/ou reconfiguram as redes de associação e comunicação na IoT e qual indicação oferecem sobre o lugar do humano nesses sistemas.

 

CONSTRUÇÕES, ASSOCIAÇÕES E CONEXÕES: A Materialidade da Cidadania Pelas Práticas Digitais de Pessoas Com Deficiência.

Participantes – Vivian Corneti (pesquisadora responsável)

A investigação desenvolvida na linha Cibercultura, tem como objetivo geral descrever, evidenciar e compreender, por meio da identificação e análise da rede sociotécnica acionada pelas pessoas com deficiência quando utilizam a internet, como o desenvolvimento de articulações e gambiarras ampliam suas formas de comunicação, criando assim novas condições para o exercício da cidadania e a construção de suas subjetividades. O foco da análise são pessoas cuja condição física lhes impede de utilizar todas as funcionalidades dos aparelhos tecnológicos digitais ou cujo uso se desenvolve a partir de sua inventividade, por gambiarras. Para compreender a ação de elementos humanos e não-humanos que constituem tal rede, convocamos como articulador metodológico a Teoria Ator-Rede (LATOUR, 1994, 2008, 2012; LAW, 1992; VENTURINI, 2010; LEMOS, 2013). A noção de cidadania será construída a partir da tríade trabalho, obra e ação (ARENDT, 2014). As temáticas da cidadania comunicativa e do processo de midiatização serão desenvolvidas pela reflexão de pensadores como Castells (2015), Haraway (2009), Hjarvard (2008, 2014), Lemos (1999, 2004, 2008), Mata (2006) e Maldonado (2011, 2012).

 

PESQUISAS CONCLUÍDAS  

2015-2016 – ESTÁGIO SÊNIOR NO EXTERIOR

Participantes – André Lemos

De setembro de 2015 a agosto de 2016 no Programmable City da Nacional University of Ireland, Maynooth, coordenado pelo prof. Rob Kitchin. O objetivo é de desenvolver o projeto de pesquisa em andamento (“A Comunicação das Coisas. Internet das Coisas, Big Data, Smart City e Teoria Ator-Rede” – Bolsa PQ-1A, CNPQ, 2014-2019) e articular projetos e pesquisas conjuntos que possam ampliar a cooperação acadêmica entre os laboratórios de pesquisa envolvidos. Parte do estágio será feito no “Centre for Interdisciplinary Methodologies (CIM)” , das área de Ciências Sociais da University of Warwick, em Coventry, Inglaterra. O CIM é dirigido pela professora Celia Lury. Há vários projetos que discutem as novas formas de relacionamento dos objetos, as mídias, as formas contemporâneas de comunicação e as teorias sociais.

 

2015 – COOPERAÇÃO ACADÊMICA INTERNACIONAL – NEWTON FUND – AUGMENTED URBANITY AND SMART TECHNOLOGIES: HOW “SMART” ARE OUR CITIES BECOMING?

Participantes – André Lemos

Vencedor do edital NEWTON FUND (UK). Reúne pesquisadores das Universidades de Durham e Plymouyth no Reino Unido e da PUC-PR e FACOM-UFBA para discutir o tema das “cidades inteligentes”. Início – 01 de Janeiro de 2015. Duração – 12 meses – Pesquisadores envolvidos – Simon Marvin e Andres Luque, do Departamento de Geografia da University of Durham, Alessandro Aurigi, da Faculdade de Artes e Humanidades da Plymouth University, Rodrigo Firmino e Fábio Duarte do Programa de Pós- Graduação em Gestão Urbana da PUC-PR e André Lemos e André Holanda, do LAB404 do Programa Pós- Graduação em Comunicação e Cultura Contemporâneas da FACOM/UFBA. We intend to work in two interconnected research areas – smart technologies and smart cities -, both important to understand the enormous urban transformations in the past two or three decades. These areas are grounded on our experiences as researchers, reflected in books, peer- reviewed publications, and conferences.

A Comunicação das Coisas. Internet das Coisas, Big Data e Smart Cities. Produtividade em Pesquisa do CNPQ (PQ 1-A) – Período – 2014 – 2019.

Resumo: O objetivo da pesquisa é discutir a Teoria Ator-Rede (TAR) e a Filosofia ou Ontologia Orientada a Objetos (OOO) no campo das mídias digitais, em particular, e das teorias da comunicação em geral. A pesquisa tem como objeto de análise a Internet das Coisas (Internet of Things – IoT), do Big Data a partir dos projetos de Smart Cities. Estes podem ser entendidos como aqueles que agregam discussões sobre comunicação e espaço urbano a partir do uso intensivo de sensores e objetos conectados (IoT) gerando uma grande quantidade de informação (Big Data) para visualização, monitoramento e ação. Sensores, algoritmos, bases de dados, redes telemáticas criam um ambiente infocomunicacional no qual os objetos sentem o seu contexto, sabem do seu status, processam informações, tomam decisões e as distribuem mediando outros objetos e humanos. A hipótese que sustenta essa pesquisa é que a teoria ator-rede e a ontologia orientada a objetos podem ampliar o debate sobre esses novos objetos da comunicação que ganham funções infocomunicacionais importantes. Para descrever e analisar as mediações (a comunicação das coisas) e as dimensões políticas emergentes desse novo arranjo social, vamos adotar como metodologia a cartografia de controvérsias. O trabalho insere-se no que se tem chamado de digital humanities.

 

A Representação da Internet das Coisas na Mídia – PQ/CNPQ

Participantes  André Lemos (coordenador) Daniel Marques; Elias Bitencourt; Brenda Rodrigues (bolsista CNPq/INCT-DD).

Resumo: Este trabalho investigativo tem por objetivo descrever como a imprensa brasileira apresenta o fenômeno da Internet das Coisas (IoT). Toma-se como corpus 165 textos da Folha de São Paulo publicados online entre 2011 e 2016. Foi desenvolvida uma ferramenta de raspagem de dados com a qual se extraíram as matérias, que foram analisadas no software ATLAS.ti. Identificam-se os objetos mais citados, as qualidades atribuídas a eles, bem como as definições de IoT mais recorrentes. Também são observados os principais temas associados às notícias e os juízos de valor. Conclui-se que a IoT é definida pela conectividade entre objetos inteligentes, vinculada a questões técnicas e econômicas, ligadas à ideia de futuro. Esses objetos atuam, em sua maioria, nas áreas residencial, de saúde e de transporte. Problemas de privacidade ainda não dominam as discussões.

 Produtos gerados:

LEMOS, A.; MARQUES, D.; BITENCOURT, E. Narrativas sobre a Internet das Coisas: um estudo exploratório das matérias veiculadas na Folha Online entre 2011 e 2016. Aprovado para publicação na revista Intexto (UFRGS). E-ISSN 1807-8583.

 

Sensibilidade Performativa e Privacidade nos produtos Nest – PQ/CNPQ

Participantes André Lemos (coordenador); Daniel Marques.

ResumoAs relações entre privacidade, tecnologia e comunicação apresentam questões de alta relevância para os estudos em cultura digital. A presente pesquisa busca contribuir com o campo a partir de uma observação crítica dos problemas de privacidade na Internet das Coisas (IoT). Para tanto, desenvolvemos uma breve revisão sobre os principais aspectos da IoT e da privacidade. O conceito de Sensibilidade Performativa (SP) será o operador teórico-metodológico criado e utilizado para entender as múltiplas dimensões do fenômeno. Parte-se do referencial teórico para uma análise empírica da circulação de dados e informações pessoais nas redes mobilizadas pelo termostato inteligente Nest, bem como outros produtos da mesma linha.

Produtos gerados:

MARQUES, D.; LEMOS, A. SENSIBILIDADE PERFORMATIVA E PRIVACIDADE NA INTERNET DAS COISAS. In: 5 SIMPOSIO INTERNACIONAL LAVITS | VIGILANCIA, DEMOCRACIA Y PRIVACIDAD EN AMÉRICA LATINA: VULNERABILIDADES Y RESISTENCIAS., 2017, Santiago – Chile. Anais… Santiago – Chile: [s.n.], 2017. p. 22.

Teorizando a mediação: traduzindo as Teorias da Comunicação com a Teoria Ator-Rede

Participantes  – André Fabrício da Cunha Holanda (pesquisador responsável)

Resumo: O legado tradicional das Teorias da Comunicação, mesmo considerando sua diversidade de paradigmas científicos e ideológicos, enfrenta dificuldades em face do desafio de abordar fenômenos atuais da comunicação social e da própria vida em sociedade caracterizados pela atuação cada vez mais assídua e autônoma dos atuantes não-humanos. Seja por conta de fluxos das comunicações digitais cada vez mais intensos entre objetos realizadas sem a interferência humana, (Internet das coisas), seja pela capacidade demonstrada por dispositivos de hardware e software para “produzir sentido” a partir de grandes massas de dados (Big Data) ou seja finalmente pela imersão em contextos urbanos marcados pela inclusão cada vez maior de dispositivos técnicos com acentuada capacidade de processamento e comunicação autônoma (Smart Cities), os paradigmas baseados na prevalência do agente humano como epicentro das comunicações não se mostram capazes de elucidar estas novas interações. Surge a necessidade de uma abordagem simétrica da mediação, que se propõe aqui parta da Teoria Ator-rede e seja capaz de analisar e descrever estes processos de mediação operados em larga medida por actantes não-humanos.

 

Waze e Centros de Controle e Operações (CCOs)

Participantes – Moisés Costa Pinto

Resumo: Análise comparativa como CCOs usam o Waze para predizer e reagregar o futuro e reapropriar espaços urbanos e as cidades; o projeto de dissertação propõe uma análise sobre como dados coletados pelo Waze são utilizados pelos CCOs para reagregarem e organizarem as cidades. Os CCOs visam vigilância e controle e com o Waze também podem prover análise preditivas e estender o controle sobre ações futuras nas cidades. A pesquisa irá comparar como as cidades brasileiras, que têm parceria de troca de dados com o Waze, usam tais informações em seus respectivos Centros de Controle e Operações e respondendo a seus respectivos problemas urbanos.