Em Andamento

PESQUISAS EM ANDAMENTO

Comunicação, Mediação e Cibercultura – PQ/CNPQ – 2019-2022 – Universal CNPQ

Participantes – André Lemos (coordenador) e equipe do Lab404.

Resumo: Comunicação, cultura digital e mediação sintetizam o problema central de pesquisa. A atual proposta visa aprofundar a discussão sobre os conceitos de “Sensibilidade Performativa” (SP) e “Comunicação das Coisas” (CdC), aplicados a fenômenos contemporâneos da cultura digital. Busca-se discutir o conceito de mediação, comunicação e “modos de existência” para dar conta dos novos fenômenos comunicacionais contemporâneos emergentes com a dataficação da sociedade e a agência ampliada de objetos infocomunicacionais. A hipótese principal é que não é possível entender os produtos e processos da cultura digital contemporânea sem levar a sério a agência dos objetos na ação comunicacional. O entendimento de mediação não é suficiente para definir o campo da comunicação. Torna-se necessário, explicitar o que de específico tem essa forma de mediação – que chamaremos de “comunicação social” – sem negligenciar o papel dos objetos. Haveria, em tese, um modo de existência específico que chamaremos de “Modo de Existência da Comunicação” (COM). A discussão teórica desse projeto vem ancorada em uma perspectiva pragmática e será perseguida a partir de um panorama analítico-descritivo de práticas e de dispositivos digitais a partir de problematizações envolvendo materialidades, performatividade algorítmica e agência dos objetos.

 

Materialidades digitais e mediações algorítmicas enquanto práticas comunicacionais no regime de Comunicação das Coisas. – PAC/UNEB; PQ/CNPQ

Participantes – André Lemos (coordenador). Elias Bitencourt (pesquisador responsável), Gabriel Bastos (graduação, bolsista CNPq/INCT-DD) e Vitória Croda (graduação, bolsista CNPq/INCT-DD)

Resumo: A popularização da internet móvel e da computação embarcada contribuiu para a emergência do fenômeno da Internet das Coisas. Também conhecidos como coisas inteligentes (Smart things), esses objetos não apenas transformam o alcance da informação veiculada, mas promovem múltiplas traduções (LATOUR, 2005) nos modos de produção, registro, e expressão da informação circulante através de agenciamentos algorítmicos. Historicamente, entretanto, as abordagens tradicionais das Teorias da Comunicação tenderam a minimizar, ou mesmo desconsiderar, a parte não humana das cadeias midiáticas, tratando a “comunicação” como um objeto/fenômeno alicerçado em categorias epistemológicas interpretadas e validadas exclusivamente por filtros antropocêntricos. Como caminho alternativo, esse projeto quer dar relevo às materialidades digitais reconhecendo-as como práticas comunicacionais importantes para pensar a comunicação como um fenômeno mais amplo, caracterizado muito mais pelo processo de mobilização de cadeias de tradução (LATOUR, 2005) da informação que propriamente pelo caráter “humano” dos agentes ou da qualidade “hermenêutica” dos substratos das traduções. Para tal, busca caracterizar o aparato-fenômeno (BARAD, 2007) Comunicação das Coisas (LEMOS, 2013) nos sistemas da IoT. Adota como estratégia teórico-empírica o mapeamento das principais perspetivas epistemológicas no campo e a catalogação das práticas comunicacionais mediadas por algoritmos mais frequentes nos produtos da IoT.

 

ROUBA (DADOS), MAS FAZ: Privacidade e darkpatterns em aplicativos governamentais da Bahia – PQ/CNPQ

Participantes – André Lemos (coordenador) Daniel Marques (Pesquisador Responsável)

Resumo: O objetivo geral desta pesquisa está em analisar a ocorrência de privacydarkpatterns nos aplicativos oficiais da prefeitura de Salvador e Governo do Estado da Bahia, sistematizando, a partir disso, uma metodologia de descrição e análise desse fenômeno. Tratam-se de estratégias de interface desenvolvidas com o propósito de fazer com o que o usuário tome decisões que, muitas vezes, não são do seu interesse. Ao mesmo tempo, portanto, em que percebemos a implementação de padrões de interface que buscam auxiliar o usuário na tomada de decisão sobre o gerenciamento de suas informações pessoais – privacypatterns –, também é possível encontrar artifícios que direcionam o sujeito para uma maximização na coleta e processamento de informações pessoais – privacydarkpatterns. A pesquisa busca: a) revisar a literatura sobre padrões de privacidade e darkpatterns; b) sistematizar uma metodologia de descrição e análise de darkpatterns em interfaces digitais e; c) analisar a ocorrência dos darkpatterns em aplicativos governamentais da Bahia.

 

FOTOGRAFIA E PRÁTICA DE DADOS. Materialidades, performatividade algorítmica e comunicação das coisas

Participantes – Leonardo Pastor (coordenador da pesquisa, bolsista Capes de doutorado), André Lemos (coordenador do Lab404), Michelle Oliveira (graduação, bolsista PIBIC/CNPq), Vitória Croda (graduação, bolsista CNPq/INCT-DD)

Resumo: Em uma primeira etapa, a pesquisa teve como objetivo investigar empiricamente a prática fotográfica realizada através do aplicativo Instagram. Desenvolvemos, portanto, uma análise tendo em vista três aspectos: processo de espacialização, processo de sociabilidade e processo de produção de si (retratos e selfies). O uso de metatexto (hashtags, legendas e emojis) e de dados de geolocalização indicam que a prática fotográfica se dá hoje enquanto uma prática conversacional de dados. Propõe-se, em uma segunda etapa, compreender as conformações sociotécnicas de materialidade e performatividade algorítmica nas práticas de dado na fotografia atual, correlacionando-as com a emergência de uma reconfiguração da perspectiva comunicacional atrelada a elas – uma comunicação das coisas. Busca-se, através das práticas fotográficas, compreendidas aqui também enquanto práticas de produção de dado, perceber uma conformação social e comunicacional na qual as disposições de materialidade, a performatividade algorítmica e a agência não-humana inserem-se de forma atuante na experiência envolvida com a produção de imagens digitais.

Produtos Gerados:

LEMOS, André. PASTOR, Leonardo. A fotografia como prática conversacional de dados: espacialização e sociabilidade digital no uso do Instagram em praças e parques na cidade de Salvador. COMUNICAÇÃO, MÍDIA CONSUMO, SÃO PAULO, V. 15, N. 42, P. 10-33, JAN./ABR. 2018. DOI 10.18568/CMC.V15I42.1611

 

VERIFICAÇÃO DA AUTENTICIDADE DE CONTEÚDOS DISTRIBUÍDOS NAS ELEIÇÕES DE 2018 POR AGÊNCIAS DE CHECAGEM – CAPES – 001

Participantes –Frederico Ramos Oliveira (pesquisador responsável); André Lemos (coordenador)

Resumo: Durante as eleições presidenciais de 2018, agências de checagem de fatos brasileiras, em função de inúmeros fatores, desenvolveram checagens de conteúdos sobre o pleito compartilhados nas redes sociais digitais. A pesquisa intenta identificar as fontes utilizadas nas checagens, o modo como são apresentadas e os aspectos metodológicos da construção das matérias. Também busca analisar os critérios de noticiabilidade presentes nas matérias, bem como identificar aspectos que garantam às checagens caráter jornalístico. Por fim, busca identificar como as checagens são apresentadas pelos bots das agências. Neste sentido, será desenvolvida análise de conteúdo das checagens, da circulação destas postagens nas redes sociais digitais e, também, da interface dos bots desenvolvidos pelas agências no Facebook e no Twitter.