2019

Conferência “Cuestiones contemporáneas. No antropocentrismo, mediatización, circulación del sentido y nuevos enunciadores”, com Mário Carlón

A conferência de Carlón traz, como questão central, “como os novos enunciadores, ou seja, indivíduos e grupos, constroem o coletivo hoje?”. A proposição é que o surgimento do contemporâneo implica na transformação sistêmica de um conjunto de aspectos característicos da modernidade e da pós-modernidade. Nesses períodos, o campo da mediação foi dominado pela presença da mídia de massa, o que trouxe um conjunto de transformações.

Essas mudanças exigem que se passe de paradigmas antropocêntricos para outros não antropocêntricos, que permitam pensar os discursos midiáticos e os novos enunciadores. A mídia de massa também se transformou: o sistema midiático massivo interage hoje com um sistema novo, baseado na internet, especialmente redes sociais, como o Facebook, o Instagram, o Twitter e o YouTube. Isso implica em novas formas de circulação de sentido, das redes aos meios de comunicação de massa e vice-versa.

Bate-papo sobre segurança da informação com a Cubos Tecnologia

Em conversa com pesquisadores do Lab404, o desenvolvedor back end da Cubos Tecnologia, Icaro Leite, apresentou as medidas de segurança que são utilizadas no desenvolvimento de aplicativos.

O evento aconteceu na sala do Lab e houve espaço para perguntas e debate sobre a importância da segurança das informações e a privacidade dos usuários.

Das Plataformas aos Métodos Digitais: Percursos e percalços

Na palestra, o professor Carlos D’Andrea do Programa de Pós-Graduação em Comunicação (PPGCOM/UFMG) apresenta e situa os Estudos de Plataforma, com ênfase na articulação entre as múltiplas camadas a serem consideradas nas análises de mídias sociais e, a partir de estudos de caso, acontecem discussões as dimensões tecnopolíticas dos Métodos Digitais e da pesquisa com dados.

Carlos d’Andréa é professor permanente do Programa de Pós-Graduação em Comunicação (PPGCOM/UFMG) e professor adjunto do Departamento de Comunicação Social da Universidade Federal de Minas Gerais. Foi pesquisador visitante no Departamento de Media Studies da Universidade de Amsterdã, na Holanda. É membro do Núcleo de Pesquisa em Conexões Intermidiáticas (NucCon), vinculado ao grupo de pesquisa Centro de Convergência de Novas Mídias (CCNM).

2017

Internet das Coisas (IoT) e o Projeto Smart-UFBA

O Professor Cassio Prazeres (UFBA) fala sobre a Internet das coisas (IoT) e o projeto Smart-UFBA desenvolvido no WISER/CNPq – laboratório de pesquisa que coordena na instituição. Prazeres defende que a grande variedade de coisas e dispositivos do dia-a-dia que podem ser disponibilizados na IoT demanda por infraestruturas capazes de gerenciar a publicação, descoberta, composição, utilização e o compartilhamento desses dispositivos na rede. Como resposta a essas questões, o projeto Smart-UFBA apresenta uma proposta de infraestrutura para disponibilização de dispositivos físicos na Internet, com foco em automatizar a criação de aplicações para um Campus Universitário Inteligente. O evento ocorreu no dia 05 de abril, 14:30h na sala 05 do POSCOM – Faculdade de Comunicação da UFBA. Clique aqui para assistir.

Cássio Prazeres é Doutor em Ciências – Área de Ciências de Computação e Matemática Computacional – pela Universidade de São Paulo (2009), possui estágio pós-doutoral no DERI (Digital Enterprise Research Institute) na National University of Ireland (Galway) e é professor Adjunto IV na Universidade Federal da Bahia (UFBA) nas áreas Internet/Web/Multimídia. Na pós-graduação, atua como orientador permanente no Programa de Pós-graduação em Ciência da Computação (PGCOMP-UFBA) e coordenador do Laboratório e Grupo de Pesquisa CNPq WISER (Web, Internet and Intelligent Systems Research Group).

2016

Sociologia Digital: os desafios para a pesquisa no século XXI

A edição do projeto interseções/Lab404 2016 tem como tema a sociologia digital e os desafios para a pesquisa no século XXI. Trazemos como convidado o Professor Doutor Leonardo Nascimento (UNILAB) que irá problematizar alguns dos aspectos daquilo que vem sendo denominado de “crise dos métodos” nas ciências sociais. Leonardo defende a necessidade de um upgrade metodológico através do uso de ferramentas digitais de extração e análise de dados coletados com as formas tradicionais de pesquisa e, a partir da descrição de algumas destas ferramentas, apresentará alguns dos desafios metodológicos e epistemológicos promovidos pela “virada computacional” na pesquisa da sociedade. O evento ocorreu no dia 26 de Outubro, das 9 às 11h na sala 05 do POSCOM – Faculdade de comunicação da UFBA.

Leonardo Nascimento é Doutor em sociologia pelo Instituto de Estudos Sociais e Políticos – IESP/UERJ com estágio doutoral na École des Hautes Études en Sciences Sociales (EHESS), Paris. É professor Adjunto da Universidade da Integração Internacional da Lusofonia Afro-Brasileira – UNILAB, coordenador do Onirê – Laboratório de Humanidades Digitais e Professor colaborador no Programa de Pós-graduação em Ciências Sociais da UFBA (PPGCS/UFBA). Suas principais áreas de interesse de pesquisa são ciência social computacional, sociologia digital, métodos digitais e análise de Big Data.

2012

A vida secreta dos objetos

Resultado de imagem para Vida Secreta dos Objetos

Simpósio Internacional A Vida Secreta dos Objetos traz a Salvador (BA), no dia 6 de agosto, a terceira etapa do seu ciclo de debates, com pesquisadores de renome mundial. O simpósio é uma parceria entre diversos programas de pós-graduação (UERJ, UFF, UFRJ, PUCRJ, UFBA, ESPM-SP, PUC-SP, UFC), grupos de pesquisa (GPC e Vilém Flusser Archiv) e duas instituições internacionais (Universität Wien e Universität der Künste Berlin) discutindo perspectivas metodológicas da pesquisa mundial. Conferencistas: Bruno Latour, Sciences Po Paris; Graham Harman, Universidade Americana do Cairo; Richard Grusin, Universidade de Wisconsin-Milwaukee; Siegfried Zielinski, Universität der Künste Berlin e European Graduate School; André Lemos, UFBA; Erick Felinto, UERJ; Adalberto Müller, UFF; Vinicius Andrade Pereira, UERJ e ESPM.

2010

Lugares da Sociabilidade

lugares-da-sociabilidade-400x282

Lugares da Sociabilidade. I Seminário do Lab404, então Grupo de Pesquisa em Cibercidades (GPC), e do Grupo de Pesquisa em Interações, Tecnologias Digitais e Sociedade (GITS). Palestra de abertura com Prof. Dr. Vinicius Neto (UFF) – “Prática, Comunicação e Espaço. Uma reflexão sobre a materialidade das estruturas sociais”

Coordenado por André Lemos (GPC) e José Carlos Ribeiro (GITS), teve como objetivo promover um espaço de discussão sobre os diversos temas relacionados às pesquisas efetuadas pelos discentes da linha cibercultura do Programa de Pós-Graduação em Comunicação e Culturas Contemporâneas da UFBA, vinculados ao Grupo de Pesquisa em Cibercidades – GPC e ao Grupo de Pesquisa em Interações, Tecnologias Digitais e Sociedade – GITS. Os temas a serem abordados agrupam-se em mesas temáticas sobre: Cartografia colaborativa; Game Studies; Dispositivos Móveis e Redes Sociais; Jornalismo Móvel e Mídia Locativa; Interação e Redes Sociais; e Dispositivos Móveis e Jornalismo Digital.

2009

Curso de Extensão: Mídias Locativas – Comunicação e Mobilidade

O atual estágio do desenvolvimento das tecnologias digitais móveis configura-se como uma nova fase da cibercultura, a da “internet das coisas”. Podemos utilizar aqui a metáfora do download do ciberespaço ou como diz Russel (1999), da internet “pingando” nas coisas, para mostrar que a antiga discussão sobre a constituição de um mundo a parte com o surgimento do ciberespaço parece estar em questão com a virada espacial que os estudos das mídias locativas trazem para o debate sobre a comunicação contemporânea. Vamos examinar o uso de tecnologias e serviços baseados em localização no contexto mundial e brasileiro, apontando para a discussão de questões como espaço, lugar, comunicação e mobilidade.  Mídias locativas como dispositivos, sensores e redes digitais sem fio e seus respectivos bancos de dados “atentos” a lugares e contextos, os chamados LBS e LBT.  A característica fundamental das mídias locativas é que elas aliam, paradoxalmente, localização e mobilidade. Vamos abordar nesse curso aspectos da relação dessas novas mídias: a arte, os games, as redes de sociabilidade, marketing e o jornalismo. O curso é proposto pelo Grupo de Pesquisa em Cibercultura, credenciado pelo CNPq e pioneiro dessa discussão no Brasil.

 

Leave a Reply