Em Andamento

Comunicação, mediação e cibercultura (Processo: 307448/2018-5, Modalidade/Nível: PQ-1A., Vigência –  01/03/2019 a 29/02/2024)
André Lemos, coordenador

Pesquisa central do Lab404. Todas as pesquisas em andamento estão relacionadas com essa pesquisa. 

Resumo: Busca-se discutir o conceito de mediação, comunicação e “modos de existência” para dar conta dos novos fenômenos comunicacionais contemporâneos emergentes com a dataficação da sociedade e a agência ampliada de objetos infocomunicacionais. Com o apoio das teorias da comunicação, das sociologias pragmáticas (particularmente a Teoria Ator-Rede – TAR) e da filosofia orientada a objeto, o projeto discute esses conceitos para pensar as particularidades da comunicação em ambiente digital. A hipótese principal é que não é possível entender os produtos e processos da cultura digital contemporânea  sem levar a sério a agência dos objetos (físicos e digitais) na ação comunicacional. Trata-se de apontar para a necessidade do reconhecimento de que a agência dos objetos é central para o entendimento da implicação humana em jogo com a cultura digital. Essa hipótese nos leva a uma outra mais geral, que visa reforçar e enquadrar a discussão. O entendimento de mediação (entre humanos, humanos e não humanos e entre não humanos) não é suficiente para definir o campo da comunicação. Torna-se necessário, explicitar o que de específico tem essa forma de mediação – que chamaremos de “comunicação social” – sem negligenciar o papel dos objetos nessa associação. Haveria, em tese, um modo de existência específico de processos, indústrias, regulações, relações subjetivas, informação etc., que identificamos como “comunicacionais”. Assim sendo, um dos objetivos centrais dessa pesquisa é apresentar, caso se confirme a segunda hipótese dessa pesquisa, o que chamaremos de “Modo de Existência da Comunicação” (COM).

Mapa epistemológico da Compós
André Lemos, coordenador; Elias Bitencourt, professor do POSCOM/UFBA

Resumo: A pesquisa tem como objetivo mapear as bases epistemológicas que sustentam as concepções de mediação e comunicação no campo. A tese é que a noção de comunicação no brasil é fortemente amparada por um viés antropocêntrico o que dificulta aos estudos da área avançarem no sentido de compreender os agenciamentos promovidos pelas novas tecnologias da informação mediadas por algoritmos. Foram levantadas as publicações dos últimos 4 anos dos GTs de epistemologia e cibercultura do congresso mais relevante da área, a Compós, totalizando um corpus de 80 textos. No momento, já foram concluídas as análises do GT de epistemologia, os textos de cibercultura estão em andamento.

Fake news e Antropoceno
André Lemos, coordenador; Elias Bitencourt, professor do POSCOM/UFBA

Resumo: A pesquisa parte da tese de que as fake news operam na qualidade de método e consequência dos programas de ação das plataformas de redes sociais favorecendo a polarização dos discursos como forma de dataficar os afetos promovidos pelo acesso à informação digital que nelas circula. Nesse modelo especulativo, as práticas comunicacionais nos ambientes digitais demandam altos custos energético para o resfriamento dos datacenters, mobilizando grandes quantidades de pegada de carbono e consumo de combustíveis fósseis, revelando as materialidades nocivas de da comunicação digital geralmente associado ao etéreo, virtual e imaterial. A pesquisa investiga a materialidade desses rastros ambientalmente nocivos tomando como base empírica a divulgação sobre o vazamento de óleo no nordeste no Twitter e no Youtube. No momento, os dados estão sendo coletados e um resumo estendido está em processo de elaboração para o congresso do AIOR.

Comunicação, Design, performatividade algorítmica e plataformas digitais. Investigações neomaterialistas acerca das experiências comunicacionais mediadas por algoritmos na era do capitalismo de dados
Elias Bitencourt, professor do POSCOM/UFBA

Resumo: A pesquisa toma como ponto de partida as seguintes questões-problema: a) como o fenômeno da plataformização da sociedade produz as experiências comunicacionais na atualidade?; b) o que caracterizaria os processos comunicacionais em contextos algoritmicamente performativos?; e c) quais consequências práticas para os produtos midiáticos e para as experiências comunicacionais que emergem dessas associações entre pessoas- informação-plataformas digitais? Nossa hipótese é que a qualidade algoritmicamente performativa das associações promovidas por essas plataformas digitais reconfigura as práticas de acesso e circulação da informação e as formas pelas quais as práticas de comunicação na da cultura digital são produzidas e experimentadas. O nosso objetivo central é caracterizar, à luz das abordagens neomaterialistas e da Teoria Ator-rede os modos de agir das redes algorítmicas particulares às plataformas digitais e suas consequências práticas observáveis na tradução dos produtos midiáticos e na produção das experiências comunicacionais que emergem desse contexto.

Cognição, mediação e redes híbridas: recomendações e aprendizado no Spotify
Natália Cortez, professora da Facom/UFBA

Resumo: O projeto destaca como objetivo investigar a cognição híbrida engendrada nas dinâmicas de aprendizado nos processos de recomendação de músicas na plataforma Spotify. As redes de aprendizado são observadas a partir do modelo lógico Peirceano da semiose. Acredita-se que esse operador teórico-conceitual é relevante por integrar as agências recíprocas de usuários e algoritmos envolvidos nos processos de recomendação, considerando determinação e representação (vetores do modelo semiósico) como momentos de ênfase da agência das instâncias que condicionam o uso das interfaces da plataforma e o desencadeamento das recomendações. A partir disso propõe-se desenvolver metodologia de coleta e análise de dados baseada em classes sígnicas que evidenciem o aprendizado nessa rede de mediações cognitivas.

Aplicativos de transporte e questão de gênero: enviesamentos em contexto de PDPA
Amanda Oliveira, doutoranda

Resumo: Após período inicial de inserção massiva de aplicativos de transporte em grandes cidades brasileiras, especialmente as empresas Uber e 99, diferentes controvérsias começaram a ser geradas, dentre elas a questão da segurança das mulheres e da comunidade LGBTQAI+. Em um contexto de plataformização, dataficação e performatividade algorítmica, esta pesquisa tem tentado identificar como esses aplicativos produzem gênero, em um primeiro momento a partir de seus documentos e interface, e em momento posterior por meio do diálogo com usuários/as motoristas e usuários/as passageiros/as.

Classificação e gravidade de fake news compartilhadas em grupos de política do WhatsApp
Frederico Oliveira, doutorando

Resumo: Descreve e classifica conteúdos falsos em grupos de WhatsApp, postagens relacionadas ao Pavão Misterioso, suposto grupo hacker que fez diversas acusações ao jornalista Gleen Greenwald e aos políticos David Miranda e Jean Wyllys. A partir da coleta de conteúdos falsos publicados entre 09 de junho e 31 de agosto de 2019 em grupos on-line sobre política no WhatsApp, propõe uma classificação desses conteúdos por sua tipologia, características de disseminação, graus de falsidade, contexto, origem e fonte. Indica-se que quanto mais um conteúdo se utiliza de imagens e vídeos, mais parece factível e, portanto, é mais potencialmente danoso. Aponta a necessidade de discutir o conceito de fake news a partir do contexto atual de plataformização, dataficação e performatividade algorítmica.

Como seguir a experiência algorítmica? Ação e prática de dado na plataforma Instagram
Leonardo Pastor, Doutorando

Resumo: O objetivo desta pesquisa é propor uma investigação sobre a relação entre a prática de dado e as ações algorítmicas em plataformas digitais, colocando em discussão o uso do Instagram. Através de uma análise descritiva dos documentos da plataforma, observamos a centralidade da experiência nesse tipo de construção informacional, e apontamos algumas maneiras através das quais a ela articula parâmetros de dataficação que se baseiam na experiência de uso e tentam guiar as práticas fotográficas tornando-as passíveis de processamento algorítmico. Esse tipo de experiência, desenvolvida na relação com processos de dataficação algorítmicos atuando na plataforma, chamamos de experiência algorítmica.

Instagram e práticas profissionais
Helen Fernandes de Sousa, mestranda

Resumo: Como o Instagram modifica a prática da tatuagem: auto etnografia da tatuadora Malfeitona – A pesquisa busca discutir como a plataforma Instagram “faz-fazer”, gerando mudanças das práticas e organização do trabalho dos tatuadores tomando como ponto de partida para análise o relato autoetnográfico, o que se justifica pela autora ser tatuadora e “digital influencer”. Baseada em uma perspectiva neomaterialista, essa pesquisa pode servir de base para outras que busquem identificar a forma como as plataformas digitais modificam práticas e atividades, apontando para a necessidade de reconhecimento da ação dessas plataformas no processo comunicacional e do desenvolvimento de perspectivas menos antropocêntricas nos estudos dos fenômenos da cultura digital.

Data Comics: narrativa em quadrinhos para visualização de dados
Natália Huf, mestranda

Resumo: Os data comics, livremente traduzidos como quadrinhos de dados, são uma forma de comunicar dados por meio de visualizações inspiradas na linguagem dos quadrinhos. De acordo com Bach (2017), o gênero ainda é emergente e há poucos exemplos de data comics publicados em veículos jornalísticos, o que torna difícil estabelecer quais são os critérios específicos para defini-los e enquadrá-los como tal. A pesquisa tem como proposta identificar as características do que seria um data comic e compreender como essa modalidade de apresentação de dados pode ser construída, partindo de uma metodologia baseada nas novas materialidades (Fox, Aldred, 2017). Em fase de inventário (Lemos, 2019) , a pesquisa busca apontar quais são os elementos essenciais que a constituem, e também em quais contextos é viável utilizar-se da linguagem da imagem sequencial como suporte para a visualização.

Materialidades digitais e produção de Rap Independente em Salvador
Gabriel Vieira Bastos, bolsista de Iniciação Científica

Resumo: O projeto pretende, através de uma análise empírica, entender de que forma as tecnologias, principalmente as plataformas de streaming de música (Soundcloud, Spotify e YouTube), redes sociais (Instagram e Facebook) e as interfaces e softwares de gravação e produção, alteram e agenciam as lógicas de criação de batidas de Rap por produtores independentes de Salvador. O argumento principal da pesquisa é buscar entender como esses mecanismos agenciam e influenciam diretamente no trabalho dessas pessoas, desde a produção a divulgação dessas músicas. Tendo como base teórica teorias neomaterialistas, estudos sobre plataformas e, principalmente, fugindo de uma análise antropocêntrica e essencialista onde as tecnologias exercem papel de meras ferramentas ou mecanismos passivos de uso humano.