Pesquisas em Andamento

Comunicação, mediação e cibercultura (Processo: 307448/2018-5, Modalidade/Nível: PQ-1A., Vigência –  01/03/2019 a 29/02/2024)
André Lemos, coordenador

Pesquisa central do Lab404. Todas as pesquisas em andamento estão relacionadas com essa pesquisa. 

Resumo: Busca-se discutir o conceito de mediação, comunicação e “modos de existência” para dar conta dos novos fenômenos comunicacionais contemporâneos emergentes com a dataficação da sociedade e a agência ampliada de objetos infocomunicacionais. Com o apoio das teorias da comunicação, das sociologias pragmáticas (particularmente a Teoria Ator-Rede – TAR) e da filosofia orientada a objeto, o projeto discute esses conceitos para pensar as particularidades da comunicação em ambiente digital. A hipótese principal é que não é possível entender os produtos e processos da cultura digital contemporânea  sem levar a sério a agência dos objetos (físicos e digitais) na ação comunicacional. Trata-se de apontar para a necessidade do reconhecimento de que a agência dos objetos é central para o entendimento da implicação humana em jogo com a cultura digital. Essa hipótese nos leva a uma outra mais geral, que visa reforçar e enquadrar a discussão. O entendimento de mediação (entre humanos, humanos e não humanos e entre não humanos) não é suficiente para definir o campo da comunicação. Torna-se necessário, explicitar o que de específico tem essa forma de mediação – que chamaremos de “comunicação social” – sem negligenciar o papel dos objetos nessa associação. Haveria, em tese, um modo de existência específico de processos, indústrias, regulações, relações subjetivas, informação etc., que identificamos como “comunicacionais”. Assim sendo, um dos objetivos centrais dessa pesquisa é apresentar, caso se confirme a segunda hipótese dessa pesquisa, o que chamaremos de “Modo de Existência da Comunicação” (COM).

Comunicação, Design, performatividade algorítmica e plataformas digitais. Investigações neomaterialistas acerca das experiências comunicacionais mediadas por algoritmos na era do capitalismo de dados
Elias Bitencourt, professor do POSCOM/UFBA

Resumo: A pesquisa toma como ponto de partida as seguintes questões-problema: a) como o fenômeno da plataformização da sociedade produz as experiências comunicacionais na atualidade?; b) o que caracterizaria os processos comunicacionais em contextos algoritmicamente performativos?; e c) quais consequências práticas para os produtos midiáticos e para as experiências comunicacionais que emergem dessas associações entre pessoas- informação-plataformas digitais? Nossa hipótese é que a qualidade algoritmicamente performativa das associações promovidas por essas plataformas digitais reconfigura as práticas de acesso e circulação da informação e as formas pelas quais as práticas de comunicação na da cultura digital são produzidas e experimentadas. O nosso objetivo central é caracterizar, à luz das abordagens neomaterialistas e da Teoria Ator-rede os modos de agir das redes algorítmicas particulares às plataformas digitais e suas consequências práticas observáveis na tradução dos produtos midiáticos e na produção das experiências comunicacionais que emergem desse contexto.

Aplicativos de transporte e questão de gênero: enviesamentos em contexto de PDPA
Amanda Oliveira, doutoranda

Resumo: Após período inicial de inserção massiva de aplicativos de transporte em grandes cidades brasileiras, especialmente as empresas Uber e 99, diferentes controvérsias começaram a ser geradas, dentre elas a questão da segurança das mulheres e da comunidade LGBTQAI+. Em um contexto de plataformização, dataficação e performatividade algorítmica, esta pesquisa tem tentado identificar como esses aplicativos produzem gênero, em um primeiro momento a partir de seus documentos e interface, e em momento posterior por meio do diálogo com usuários/as motoristas e usuários/as passageiros/as.

Classificação e gravidade de fake news compartilhadas em grupos de política do WhatsApp
Frederico Oliveira, doutorando

Resumo: Descreve e classifica conteúdos falsos em grupos de WhatsApp, postagens relacionadas ao Pavão Misterioso, suposto grupo hacker que fez diversas acusações ao jornalista Gleen Greenwald e aos políticos David Miranda e Jean Wyllys. A partir da coleta de conteúdos falsos publicados entre 09 de junho e 31 de agosto de 2019 em grupos on-line sobre política no WhatsApp, propõe uma classificação desses conteúdos por sua tipologia, características de disseminação, graus de falsidade, contexto, origem e fonte. Indica-se que quanto mais um conteúdo se utiliza de imagens e vídeos, mais parece factível e, portanto, é mais potencialmente danoso. Aponta a necessidade de discutir o conceito de fake news a partir do contexto atual de plataformização, dataficação e performatividade algorítmica.

Robôs influentes: mapeando as ações dos influenciadores digitais CGI no Instagram
Grégori Castelhano, mestrando

Resumo: Os influenciadores CGI formam uma categoria de perfis modelados a partir de técnicas de geração de imagens por computador e ferramentas de Business Inteligence enquanto estratégia para a dataficação de práticas comunicacionais relacionadas à produção, consumo e distribuição de conteúdo em mídias digitais. O objetivo da pesquisa é mapear os modos de agir dos influenciadores digitais CGI no Instagram, buscando entender o mútuo regime de influência produzido pela plataforma-influenciador CGI e como a relação público-influenciador-conteúdo-dados-desenvolvedores afeta as práticas de modelagem e construção desse tipo de perfil. Como objeto empírico, elegemos a Lil Miquela (@lilmiquela), primeira e maior influencer CGI do Instagram no momento. O corpus é formado de 833 postagens da @lilmiquela até o momento da coleta (28 de agosto de 2020). Os metadados e conteúdos das postagens serão explorados no Atlas.ti com o intuito de identificar a característica geral das publicações do perfil em questão e do engajamento em função dos temas e da periodicidade. As postagens de maior destaque serão usadas como ponto de partida para investigações multi-situadas acerca de eventos que possam ter relação com investimentos, controvérsias e atualizações do perfil da CGI.

Uma análise neomaterialista do aplicativo Noa Cidadão
Thalis Macedo Moura, mestrando

Resumo: Este projeto tem como objeto de pesquisa o aplicativo Noa Cidadão que possui mais de 10 mil downloads e última atualização em agosto de 2020. O Noa Cidadão, dispositivo do Núcleo de Operação Assistida, dá suporte a Transalvador através da coleta de dados dos usuários em ocorrências de trânsito sinalizados através do aplicativo. Ele foi implantado em 2015 para orientar o planejamento e auxiliar o monitoramento das ações do órgão na tomada de decisão. Qual conceito de smart city emerge do aplicativo? A metodologia adotada é baseada na abordagem neomaterialista em desenvolvimento no Lab404/FACOM-UFBA (FOX; ALLDRED, 2017; LEMOS, 2020).

Análise de projetos governamentais de checagem de fatos e suas cadeias de referência
Guilherme Reis, mestrando

Resumo: Analisa os projetos de checagem de fatos “Saúde sem Fake News” e “Saúde Responde”, ligados ao Ministério da Saúde, e o “Bahia contra o Fake”, do governo da Bahia. Parte-se da hipótese de que tais iniciativas comportam-se de maneira semelhante às fake news, sem apresentar cadeias de referência sólidas ao justificar a falsidade do conteúdo que está sendo desmentido. Leva-se em consideração o conceito de fake news a partir da lógica da plataformização, dataficação e performatividade algorítmica (PDPA).

Materialidades digitais e produção de Rap Independente em Salvador
Gabriel Vieira Bastos, Iniciação Científica

Resumo: O projeto pretende, através de uma análise empírica, entender de que forma as tecnologias, principalmente as plataformas de streaming de música (Soundcloud, Spotify e YouTube), redes sociais (Instagram e Facebook) e as interfaces e softwares de gravação e produção, alteram e agenciam as lógicas de criação de batidas de Rap por produtores independentes de Salvador. O argumento principal da pesquisa é buscar entender como esses mecanismos agenciam e influenciam diretamente no trabalho dessas pessoas, desde a produção a divulgação dessas músicas. Tendo como base teórica teorias neomaterialistas, estudos sobre plataformas e, principalmente, fugindo de uma análise antropocêntrica e essencialista onde as tecnologias exercem papel de meras ferramentas ou mecanismos passivos de uso humano.